top of page
  • Foto do escritorLiah'ah

O Canto do Pássaro

Atualizado: 19 de out. de 2022


Olá, queridos Humanos Divinos!


Primeiramente gostaria de agradecer todo o apoio que venho recebendo de vocês, através de

e-mails, mensagens, comentários, ligações! Percebi como sou rica com tantos Seres de Luz ao meu redor e sou muito grata por isso, de coração.


Hoje o post é diferente dos últimos, é uma história contada com uma escrita mais poética.

Desfrutem!




O CANTO DO PÁSSARO


Existe um pássaro solitário

Pousado no galho de uma árvore na alvorada

Um pássaro que canta um canto eterno

A mais bela e profunda melodia

O Canto da Alma.


É uma melodia que não cessa

É uma melodia pura e doce, suave, acolhedora.

Quando nos permitimos viver dançando com esse canto

A vida flui bonita

E floresce

E expande


Mas para viver dançando no ritmo do nosso canto

Precisamos primeiro ouvi-lo

Precisamos primeiro lembrar que ele está lá



Ah, ele foi esquecido

Foi ignorado, oprimido

Foi ocultado atrás de véus


Eu cheguei a pensar que nunca houve canto algum

Cheguei no ápice da desesperança e desespero

Buscando nos céus e nos infernos

A resposta para uma pergunta

Que eu nem sequer conhecia


E numa noite escura ele se fez ouvir

Além do som da tempestade e do vento forte

Que tornavam quase impossível escutar a sua pureza


Mas eu soube naquele instante

Que havia algo mais em meio ao caos




Não sei quanto tempo se passou

Até que o pássaro me visitasse outra vez

Talvez semanas, talvez vidas

Mas quando eu voltei a ouvi-lo

O caos parecia silenciar

E a doce melodia me dizia “Volta pra casa”

E o canto simples me cantava “Lembra-te de quem tu és”


Quem eu sou...

Eu disse

Quem tu és?

Perguntei

Mas o pássaro tinha ido embora


Longos anos se passaram

Anos de intermináveis perguntas

Anos de exaustivas buscas

Noites que passei ansiando ouvir aquela melodia reconfortante outra vez

Noites que amaldiçoei ter sonhado com o pássaro


Foi na alvorada que a dor terminou

Foi o mais lindo momento que vivi até então

Eu olhava para o horizonte cor-de-rosa

Pela primeira vez sem esperar que ele me desse respostas

Um pássaro negro surgiu no azul do céu que se despedia da noite

Senti o seu voo como se fosse eu a ave a planar

Ele pousou no meu ombro calmamente

E eu senti a melodia fluir dentro de mim

Eu escutei o canto do pássaro

Ele não abria o bico para cantar

Mesmo assim o canto cresceu

E parecia ressoar nas nuvens

E nos raios solares

Parecia ressoar em cada parte do meu corpo

Que agora se dissolvia na melodia

Meu corpo que se fundia na paisagem

Olhei a ave negra em meu ombro e num instante sagrado compreendi

Eu estava em casa

Morri árvore na alvorada

Renasci no novo mundo





Créditos de imagem para youtube.com/thecrimsoncircle

Aditya Chinchure em unsplash.com







Posts recentes

Ver tudo

Iluminada

2 Comments


Lu Granada
Lu Granada
Jul 02, 2021

Lindo ❤️

Like
Liah'ah
Liah'ah
Jul 03, 2021
Replying to

Gracias, hermana! ❤️

Like
bottom of page